Onde comem os chefs? – com Felipe Rameh

Onde comem os chefs? – com Felipe Rameh

Quais são os bares e restaurantes preferidos de um chef que prepara tantas delícias gastronômicas? A equipe do blog fez essa pergunta e convidou Felipe Rameh para responder.

Felipe já passou pelas cozinhas do Vecchio Sogno, D.O.M, de Alex Atala entre outros e está entre os chefs que mais se destacam na cena gastronômica mineira. Está à frente do Alma ChefGreen Up e também foi responsável por alguns espaços gastronômicos temporários das edições de 2016 e 2017 da CASACOR Minas.

Sem ideias de onde jantar e com vontade de conhecer novos sabores? Conheça o roteiro de cinco restaurantes mineiros que recomendados por Rameh:

01. Mercado Grano

“O Mercado Grano é um dos locais mais interessantes para comer bem. Funciona num galpão enorme recheado de comidas deliciosas que são produzidas em uma padaria fantástica que fica dentro do próprio estabelecimento. O lugar faz uma mistura de arte com gastronomia. Tem uma agenda cultural que conta com exposição de fotos e música sofisticada como um bom jazz. Isso tudo forma um restaurante de extremo bom gosto com uma entrega incrível. A impressão é que você não está em Minas Gerais, mas em algum galpão do Brooklin, em NY. Tudo que é feito no Mercado, é feito com excelência.”

vai lá: Rua Niágara, 320 – Jardim Canadá | instagram e site

02. Taste Vin

“O Taste Vin é perfeito para uma noite romântica. Funciona há 25 anos e é impressionante como eles mantém o alto padrão de qualidade ao longo do tempo. Não se propõe muito a inovar, mas o que fazem, fazem muito bem feito. Com uma carta riquíssima de vinhos (a melhor adega de Belo Horizonte) o lugar possui um excelente sommelier. Os garçons são sempre atenciosos, recepcionam e servem com uma hospitalidade acolhedora.”

vai lá: Rua Curitiba, 2105 – Lourdes | site

03. Cervejaria Viela

“Fui criado no interior, e ir ao Viela no Pompéia, lembra muito a calmaria da minha infância. O bar fica em uma esquina e o clima é bastante informal. Você pede uma porção de salaminho, leva para a rua, bota em cima de um caixote, passa um gatinho e divide com você. O bar fabrica sua própria cerveja num imóvel ao lado. O bacana de ir lá é que sempre vai estar tocando um bom disco na vitrola.”

vai lá: Rua Juramento, 202 – Pompéia | instagram

04. Birosca S2

“A Birosca sai do circuito mais tradicional de restaurantes. Fica em Santa Teresa e é comandado pela chef Bruna Martins, que é uma craque. A decoração lembra um antiquário com uma coleção de móveis meio caótica, mas de extremo bom gosto. O cardápio segue uma linha “bar”, com snaks e drinks maravilhosos. É importante fazer reserva antes de ir, porque está sempre cheio. Acho um lugar bacana para levar pessoas que não moram na cidade.”

vai lá: Rua Silvianópolis, 483 – Santa Teresa | instagram

05. Sushi Naka

“O restaurante japonês mais tradicional de Belo Horizonte. Não vá lá esperando comer sushi com cream cheese ou outras versões”abrasileiradas” de comida japonesa. Eles servem sakês deliciosos, o cardápio é rico em variedades em pratos quentes e frios. Até o cozimento do arroz deles é diferente.”

vai lá: Rua Gonçalves Dias, 92 – Funcionários | instagram

Se você ainda não conhece todos os restaurantes preferidos do Felipe Rameh, aproveite o feriado prolongado e vá de olhos fechados!

Continue acompanhando o blog, nossa próxima convidada para dar suas dicas gastronômicas em BH é a chef Agnes Farkasvölgyi.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificar a
wpDiscuz