O Gabinete de Leitura de Pedro Lázaro

O Gabinete de Leitura de Pedro Lázaro

1

Até 12 de julho as portas do Jockey Club – um dos espaços mais charmosos e icionicos de São Paulo – abriga a 29ª CASA COR, que reflete, nesta edicão, a beleza de nossa cultura, arte, objetos e cores. Dentro do time com mais de 70 profissionais selecionados pelo Comitê Curador composto por Pedro Ariel, Cristina Ferraz e Roberto Dimbério, está o arquiteto mineiro Pedro Lázaro. E ele conta pra equipe do blog um pouco sobre o Gabinete de Leitura, seu ambiente na mostra.

2

A proposta de Pedro foi criar um espaço multifuncional para o convívio diário com as maiores paixões do usuário – literatura, arte e design. Com uma área de 40m2, o ambiente possibilita a contemplação e uso individual, mas também permite receber de forma mais íntima aqueles que compartilham dos mesmos gostos.

3

“A inspiração inicial para a criação do ambiente vem dos contrastes da filosofia barroca e das antíteses da natureza humana, que instantaneamente motivaram a arquitetura moderna brasileira e nos influência até os dia de hoje”, comenta Pedro. E A iluminação tem papel preponderante nesta atmosfera, onde os diferentes estilos de mobiliário – do século XX e XXI, objetos do século XVIII, a coleção de arte contemporânea e sobretudo a apropriação livre do espaço, que dá a ele um percurso circular no qual toda a riqueza cultural pode ser percebida em detalhes, bem como acesso aos livros e objetos. A flexibilidade para ser modificado – com paredes ainda em branco e peças soltas no chão – em função de necessidades especificas, também caracteriza a vida moderna.

4

Paredes estruturadas em branco e preto reforçam a rusticidade do local. Outro ponto a destacar é o mobiliário genuinamente brasileiro, que traz conforto e deixa o espaço mais agradável, juntamente com os aromas.

DESTAQUES DO GABINETE DE LEITURA

5

Móveis de Lina Bo Bardi criados pela arquiteta para sua emblemática Casa de Vidro e reeditados por Etel Interioresem parceria com Fundação Pietro Maria Bardi junto ao Instituto Lina Bobardi.

6

Tapetes de seda Odegard, produzidos no Nepal e desenhados pela designer Stephanie Odegard, sob cuidados e conceitos rígidos de sustentabilidade e elevado padrão de qualidade.

7

Obras de arte contemporânea de artistas nacionais e internacionais que influenciaram a arte brasileira: Amilcar de Castro, Ana Maria Maiolino, Antônio Dias, Sônia Gomes, José Bento, Nuno Ramos, Iran do Espírito Santo, Janett Kardiff, Janaina Tschape, Paul Mccarthy, Pedro Motta, Adriana Varejão, Rosangela Rennó, Rochelli Costi, Marcelo Siveira, Nelson Felix, Miguel do Rio Branco, Farnesi, Weissman, Roberto Bethônico e Marcelo Silveira.

8

Peças de Etel Carmona como a mesa mineira e as Cadeiras Cacau – design contemporâneo com nítidas influências do tradicional mobiliário brasileiro.

9

Objetos do século XVIII como a coleção de tocheiros e arca na composição de mesas centrais.

10

Olhares mais atentos podem se lembrar de alguns desenhos do arquiteto já usados em edições passadas da Casa Cor Minas, como o banco estante (2001), bar espelhado (2003), estante (2012) e chaise (2013).

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificar a
wpDiscuz